PORTUGUÊS


UM CANTADOR                                
(Simão/Petrilli)
 
Um cantador / pode chorar
Se não ouvir / a voz soar
 
Não canto a dor / so quero paz
Fazer sorrir
E propagar / alem do céu
A minha voz / para curar
 
Minha canção / desata nó
No coração
 
Meu violão / tem tradição
Pra seduzir
E exaltar / como no mar
Ondas de amor
 
Semeio
Com meu cantar
Meu pinho pode iluminar
Ai então
Todo amor aflorar
 
Um cantador / pode chorar
Se não ouvir / a voz soar
 
O meu bordão / transbordara
Meu existir
 
E vibrará / cadenciando
O vosso andar / para gingar
 
A solidão / dissipará
Na criação
 
A escuridão / desbotará
Quando eu surgir
 
Irá brilhar / como no céu
Raios de sol
 
Semeio.......
 
Um violão
Pode chorar
Um cantador
Tem tradição


CONFLUÊNCIA                                       
(Simão)
 
Quando a morte se encontrar com o nascimento
Quando o principio da com o final do tempo
Quando a tranquilidade se desfaz num tumulto de vento
 
Lá nesse encontro eu sou teu.... todo teu
 
Quando o amor / Enfrenta o odio
Quando o desespero cai / Nos braços da esperança

Nos braços da esperança....
 
Quando os vampiros nascerem desdentados
Quando o fusil mastigar o cravo
Quando o punhal jamais poderá golpear
E a cegueira dar com a luz
 
Vou ser teu, todo teu
 
A margem do tempo / Cresce à fogo lento
O sol se ajoelha / Perante a grande beleza
Na frente da grande riqueza
 
Perante a grande beleza
 
Quando esta terra deixar todos dançar
E logo o céu se encher com santos
a girar
O mar vasto é um charco nadando na imensidão
Treme a plateia celestial na multidão



LUNDU DA FIGUEIRA                       
(Simão/Traditional)
 
Quando eu chego a figueira
Quando eu chego a figueira
Eu sinto logo uma alegria
 
Desta terra não me esqueço
Desta terra não me esqueço
Nem pela noite e nem pelo dia
 
Levanta-te meu amor
Levanta-te meu amor
Que a figueira deu frutos verdes
 
Quem cuida bem da figueira
Quem cuida bem da figueira
Há de ter frutos a noite inteira
 
Andando com a minha amada
Andando com a minha amada
Tem fruta boa na caminhada



FLOR AMARGURADA                            
(Simão)
 
Ai, será
Que a flor está feliz?
Nessa terra
Onde tem as raízes
 
Os seus ramos;
Braços roubados
Os seus frutos;
Beijos amargos
 
Ela vai pelo
Essa estrada
Solitária na caminhada
 
Seu amar
É uma tempestade
Cantando; entoando
Profundo silêncio
 
Filha de Deus
Duma Santa Mãe
Tanto sofrimento
Mas ela não cai
 
Flor sombreada
Nasceu ao luar
Mas quando canta
É um sol a raiar
 
A natureza da sua beleza
Doce ruído que faz chorar
 
Debruçada na velha cidade
Sem liberdade, tanta saudade
 
Anjos, santos
Um mudo barulho
 
Prédios, aço
Ameaça
Alfazema
Vem, me abraça
 
Ela nada fora d’agua
Uma orquídea la na praça
Triste como um pôr de sol
 
Ruído de chocalhos
La nesse campo dos mortais
É ela canta só:
 
Eu não sou da cidade
E quero liberdade
Desta saudade que sinto
 
Santa sentimental
Um canto pastoral
Lá nessa rua brinco
 
Eu não sou da cidade
E quero liberdade
Desta saudade que sinto
 
Santa sentimental
Um canto pastoral
Lá nessa aldeia brinco



TRÊS ANOS                                
(Simão/Petrilli)

Desde o dia em que você me deu
Aquele adeus, na embarcação
Saiba que meu coração é um cais
A te esperar do além-mar
 
Velas que o vento não traz
No leme o amor
 
E um marujo chóra
Contando o naufrágio
Compartilho a mesma dor
 
Ouço tua voz no som do véu das ondas
Luz do etéreo a te guiar
 
Desafio a agitação do mar
Sonhos que eu vou navegar
A três anos remo no delirio da
Saudade
 
Arde
Sinto uma saudade
Não vivo sem você



A NOSSA PAZ                                         
(Simão)
 
No teu olhar
Eu recolho o amor
E encontro a paz
 
Numa paixão
 
Vou transformar
O meu coração
No calor das tuas mãos
 
Vou transcender
 
Na luz da paz
Vou atravessar
Com tudo a brilhar
Na eterna paz
 
Além do tempo
 
Vou te encontrar
Sempre a sorrir
Iluminar
 
As nossas raízes
Florescem ramos de amor
 
É um jardim
Tranquil de paz
Que o tempo não desfaz



A LUZ       
(Simão/Petrilli)
 
Dentro de mim, corre um rio
Percorrendo a um mar de sentimentos
Transborda num rosto febril
Cada momento
Dentro de nós, vou encontrar a paz
 
Dentro de ti, uma estrela
Acariciando o firmamento
Roubando o brilho da lua
Em movimento
Perto de ti, toco o silêncio,
Gozo o momento
Há, se eu puder poetar o amor
Exaltar todo resplendor
 
Dentro do teu olhar
Você vai me ensinando, clareando
Assim como o sol cintila a luz



 
ENGLISH


A TROUBADOUR                        
(Simão/Petrilli)
 
A singer/ may cry
If he doesn’t hear / his voice resonate
 
I don’t sing of pain / I only want peace
To make one smile
And transmit / beyond the heavens
My voice / to heal
 
My song / unties a knot
In the heart
 
My guitar / has tradition
To seduce
And praise / like at sea
Waves of love
 
I sow
With my singing
My pine guitar can illuminate
And in that place
Love will flower
 
A singer / may cry
If he doesn’t hear / his voice resonate
 
My bass string / will change
My existence
 
And will vibrate / giving cadence
To your walking / making you dance
 
Solitude / will vanish
In the creation
 
The darkness / will fade
When I appear
 
It will shine / like in the sky
Rays of sunlight
 
I sow…….
 
A guitar
Can cry
A singer
Has tradition


CONVERGENCE                                     
(Simão)

When death finds itself face to face with
birth
When the beginning meets the end of time
When tranquility is undone in a tumult
of wind

There in that encounter I am yours… all yours
 
When love / Faces hate
When despair falls / Into the arms of
hope

Into the arms of hope…..
 
When vampires are born toothless
When the rifle chews on the carnation
When the dagger can no longer slash
And blindness meets the light
 
I will be yours, all yours
 
At the edge of time / Emerging as a small flame
The sun kneels / Before the grand beauty
In front of the great richness
 
Before the vast beauty
 
When this land allows all to dance
And before long the heavens fill with whirling saints
The vast sea is a puddle swimming in the immensity
The celestial audience trembles amidst the multitude


LUNDU OF THE FIG TREE              
(Simão/Traditional)
 
When I arrive at the fig tree
When I arrive at the fig tree
I soon feel happiness
 
This land I will never forget
This land I will never forget
Not by day nor by night
 
Wake up my love
Wake up my love
The fig tree has borne green fruit
 
The one who takes good care of the fig tree
The one who takes good care of the fig tree
Will have fruit all night long
 
Strolling with my lover
Strolling with my lover
There is good fruit on the journey



BITTER FLOWER                             
(Simão)
 
Oh, could it be
That this flower is happy?
In that land
Where she has her roots
 
Her branches;
Stolen arms
Her fruits;
Bitter kisses
 
She goes
Along that road
Solitary on her journey
 
Her love
Is a tempest
Singing; intoning
Profound silence
 
Daughter (child) of God
Of a Saintly Mother
So much suffering
But she does not fall
 
Shaded flower
Was born by the moonlight
But when she sings
She is a radiant sun
 
The nature of her beauty
Sweet noise that makes one cry
 
Twisted in the old city
Without liberty, so much longing
 
Angels, Saints
A mute clatter
 
Buildings, steel
Threat
Lavender
Come, hold me
 
She swims out of water
An orchid in the square
Sad like a setting sun
 
The din of rattles
In that field of mortals
And she sings alone:
 
I’m not from the city
And I want freedom
From this longing that I feel
 
Sentimental saint
A pastoral song
There in that street I play
 
I’m not from the city
And I want freedom
From this longing that I feel
 
Sentimental saint
A pastoral song
There in that village I play



THREE YEARS                                  
(Simão/Petrilli)
 
Since the day when you gave me
That goodbye, in the departure
Know that my heart is a quay
That awaits you from beyond the sea
 
Boats that the wind will not bring
At the helm is love
 
And a sailor cries
Telling of a shipwreck
I share the same pain
 
I hear your voice in the veiled sound of waves
Ethereal light guides you
 
I defy the turmoil of the sea
Dreams that I will navigate
For three years I have been rowing in a
Nostalgic delirium
 
It burns
I feel nostalgia
I can’t live without you



OUR PEACE                                            
(Simão)
 
In your gaze
I gather love
And I find peace
 
In a passion
 
I will transform
My heart
In the heat of your hands
 
I will transcend
 
In the light of peace
I will travel
With everything glowing
In an eternal peace
 
Beyond time
 
I will find you
Always smiling
Illuminating
 
Our roots
Will flower into branches of love
 
It is a tranquil
Garden of peace
That time will not undo



THE LIGHT
(Simão/Petrilli)
 
Inside of me, flows a river
Traversing a sea of feelings
Overflowing with a fevered brow
Every moment
Inside of us, I will find peace
 
Inside of you, a star
Caressing the sky
Stealing the brightness from the moon
In movement
Near you, I touch the silence
I enjoy the moment
Oh, if I could poeticize love
Exalt all the resplendence
 
Inside of your gaze
You go on teaching me, brightening me
Just as the sun shines light




 

FRANÇAIS


Arrive bientôt…….